O Congresso do Panamá (1826): uma análise dos primeiros tratados de Integração da América Latina

Alexandre Ganan de Brites Figueiredo

Resumo


Este artigo pretende analisar as motivações políticas da realização do Congresso do Panamá, em 1826, bem como os dispositivos jurídicos dos quatro tratados que ficaram conhecidos como os “Protocolos do Istmo”. Aquele Congresso foi o primeiro que procurou consolidar um arranjo de integração na América Latina. Para sua realização foram apresentadas diversas motivações, sendo que dentre elas a mais imediata foi a necessidade de um acordo militar que forjasse uma força armada comum capaz de dissuadir ameaças de intervenção tanto por parte da Espanha como da Santa Aliança. O artigo apresenta ainda as divergências entre o pensamento de Simón Bolívar, principal artífice do projeto de união, e os tratados firmados entre os delegados plenipotenciários que participaram do Congresso do Panamá. Defende que o projeto de união era a garantia da manutenção das independências e da sua opção republicana.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.26556/1807-1260.v15.n29.p.03-16.2018

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
';



Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Revista Intellector | Intellector Journal 
 
Editor-Chefe/Editor-in-Chief: Dr. Charles Pennaforte
Editor Adjunto/Deputy Editor: Dr. Marco Antônio Fávaro Martins
 
Publicação do Centro de Estudos em Geopolítica e Relações Internacionais (CENEGRI) criada em maio de 2004.
 
Published by The Centre for Studies on Geopolitics and Foreign Affairs since 2004
 
ISSN (digital) 1807- 1260| ISSN (impressa) 1808-0529
 
Caixa Postal 91 - CEP 96010-971 - Brasil
editor-intellector@cenegri.org.br
atendimento@cenegri.org.br
 
DOAJQualis Latinindex Clase Periódicos SEER